Publicado por: PCdoB-PG | 08/10/2012

PCdoB elege dois vereadores em Ponta Grossa

Aliel Machado e Antonio Aguinel eleitos pelo PCdoB em Ponta Grossa

O Partido Comunista do Brasil (PCdoB) elegeu seus dois primeiros vereadores no município de Ponta Grossa (PR), principal cidade da região dos Campos Gerais, com 317 mil habitantes.

Foram eleitos Aliel Machado com 3.731 votos, o terceiro mais votado da cidade e o primeiro mais votado da Coligação Viva Ponta Grossa que integrou o PCdoB e o PT e elegeu quatro parlamentares, e Antônio Aguinel, com 1.450 votos.

Aliel Machado é estudante de pedagogia, líder estudantil, ex-presidente da UMESP, ex-presidente da UJS-PG e coordenador geral do DCE da UEPG. Antonio Aguinel é motorista profissional, ex-funcionário da Viação Campos Gerais e líder dos trabalhadores desta que é única empresa de transporte coletivo da cidade.

O PCdoB foi o sexto partido mais votado na cidade com 9.946 votos no para a Câmara Municipal (5,47%).

Os comunistas participaram na eleição 2012 com 18 candidatos a vereador.

O objetivo do partido agora é eleger o prefeito Péricles de Mello (PT), que disputa o segundo turno na cidade.

Anúncios
Publicado por: PCdoB-PG | 05/10/2012

As Propostas gerais dos mandatos comunistas

– Transparência! Todos os gastos dos gabinetes comunistas serão informados através das páginas dos mandatos na rede mundial de computadores, bem como todos os posicionamentos e opiniões defendidas pelos/as vereadores/as. Transparência de gastos e das ações é a cara de um mandato comunista.

– Debater a cidade! Os/as comunistas irão propor seminários para a elaboração de planos decenais para as politicas públicas do município. Usando o exemplo da educação que já tem seu plano, vamos debater com a sociedade organizada os planos para a saúde, meio ambiente, administração pública e obras urbanas. Queremos debater Ponta Grossa para  os próximos 10, 20 anos.

– Sessões descentralizadas! O PCdoB defende a realização de sessões da Câmara Municipal no período noturno nos bairros da cidade, aonde os problemas da região serão debatidos e analisados. O/a vereador/a mais próximo/a ao cidadão.

– Limitações de homenagens! A bancada comunista irá protocolar um projeto em que se limita o número de honrarias, títulos e de nomeação de ruas pelos vereadores. Por uma pauta que debata os problemas da cidade e com menos enrolação.

– Movimentos Sociais! Os/as vereadores/as comunistas irão propor a ampliação e extensão do uso da tribuna livre para os movimentos sociais. Apoio para o bom funcionamento dos movimentos sem o aparelhamento dos mesmos, fortalecendo suas lutas por uma cidade mais democrática e humana.

– Mandato Coletivo! Um mandato comunista deve ser pautado pelo coletivo. Serão montados coletivos de acompanhamento dos nossos mandatos. Semestralmente serão realizadas plenárias de prestação de contas, avaliação e consulta de novas propostas.

– É preciso justificar uso do dinheiro público! Limitar os gastos da Câmara Municipal, através de legislação, reduzindo o investimento do dinheiro público em telefone celular, número de assessores e diárias para vereadores.

–  Fiscalização permanente! É obrigação do poder legislativo (vereadores e vereadoras) fiscalizar todas ações do poder executivo (Prefeitura), cumprindo com uma função constitucional da Câmara Municipal. É compromisso de vereador/a Comunista!

– Fiscalizar e garantir respeito às leis! Ponta Grossa tem leis “esquecidas”, que deixam a população amarrada a interesses particulares. A partir de janeiro/2013 representantes comunistas prometem dar um basta nas leis de papel, garantindo uma uma outra cara ao Poder Legislativo local! Vereador não precisa agradar ninguém, mas deve cumprir com sua função: fiscalizar… sempre e todas ações que envolvem dinheiro público!

– Vereador/a de Verdade! Você tem direito a um representante por quatro anos. Não aceite eleger ‘meio’ vereador ou votar para agradar alguém. Pense grande… E escolha representantes que você pode cobrar. De verdade! Palavra de Comunista!

Publicado por: PCdoB-PG | 05/10/2012

Comunistas na Câmara de Ponta Grossa

Nomear rua ou praça, homenagear algumas pessoas, prestar apoio a quem procura e fazer indicações de melhoria para a Prefeitura encaminhar. Estas foram as principais atividades desempenhadas pelos vereadores de Ponta Grossa nestes últimos quatro anos.

Para os moradores da Cidade que enfrentam problemas com saúde, transporte público e saneamento básico, por exemplo, a Câmara Municipal se tornou um simples órgão auxiliar do poder executivo, deixando de cumprir com a função básica da Casa Legislativa: fiscalizar a administração pública e criar leis que atendam à grande maioria da população.

É por este motivo que, nas eleições de outubro próximo, o o Partido Comunista do Brasil (PCdoB) apresenta 18 candidatos e candidatas à Câmara Municipal de Ponta Grossa. Não dá para aceitar que os vereadores deixem de fiscalizar a aplicação do dinheiro público e tampouco que a casa seja um simples órgão auxiliar, onde o Prefeito, com maioria política, deixe inclusive de prestar esclarecimentos.
Leia Mais…

Publicado por: PCdoB-PG | 13/09/2012

Os candidatos 65 no horário eleitoral

Assistam os 18 candidatos do PCdoB de Ponta Grossa:

Publicado por: PCdoB-PG | 20/08/2012

Solidariedade e apoio ao Movimento Docente na UEPG

Direção municipal do PCdoB pede que deputados estaduais aprovem com urgência equiparação salarial nas universidades públicas do Paraná

O Comitê Municipal do Partido Comunista do Brasil (PCdoB) de Ponta Grossa manifesta, publicamente, a solidariedade e apoio ao movimento dos professores das universidades estaduais do Paraná, na luta pela dignidade salarial.

Os docentes negociam, através das entidades sindicais representativas, desde o início de 2011 e, apesar das promessas assumidas pela Secretarias de Estado envolvidas, nada de concreto aconteceu. No primeiro semestre de 2011, um Grupo de Trabalho elaborou uma proposta para equiparar o piso salarial dos docentes com o salário dos técnicos de formação universitária. Naquele momento (junho/2011), o Governo propôs pagar os 31,73% da defasagem em três parcelas, o que foi aceito pelos professores. Em novembro/2011, o Governo voltou atrás e disse que o Estado não teria como honrar o compromisso. Os professores realizaram novas manifestações. Nova proposta do Governo Richa previa, então, o pagamento dos 31,73% em três vezes. Mas, em fevereiro/2012, os professores são novamente surpreendidos, pois o Governo alega não ter caixa. Novas paralisações docentes nas Universidades em março e o Governo assume que pagaria o reajuste em até quatro vezes, com a primeira parcela de 7,14% em outubro/12. O projeto de lei seria enviado à Assembléia Legislativa em 1º/05/2012.

Como o Governo não enviou o projeto à ALEP até 10/08/12, os professores iniciam movimento grevista. E, agora, esperam que a palavra seja respeitada, pois não dá mais para confiar em promessas.

Enquanto isso, em outubro de 2011, o Governo foi bem mais generoso com os cargos de indicação política do Estado (os nomeados, sem concurso) e concedeu um aumento de até 128% nos vencimentos dos comissionados. E, naquele momento, mesmo com um impacto de R$ 7 milhões mensais na folha de pagamento, o Governo Richa (PSDB) não demonstrou qualquer preocupação com a Lei de Responsabilidade Fiscal. Oportuno lembrar que pagar a defasagem salarial dos professores universitários teria um impacto inferior a 1% na folha do Estado.

Na UEPG o movimento docente conta com apoio de diversos setores da comunidade, além das direções das entidades estudantis. A direção do PCdoB espera que o Governo respeite os mais de seis mil professores das sete universidades estaduais onde hoje estudam mais de 120 mil alunos. E, da mesma forma, pede atenção dos deputados estaduais para que aprovem, o mais breve possível, a proposta de equiparação salarial, que o Governo enviou ao parlamento na semana passada. Respeitar o professor universitário é defender o patrimônio público que as Universidades Estaduais representam ao povo do Paraná.

Comitê Municipal do PCdoB em Ponta Grossa. 20 de agosto de 2012.

Publicado por: PCdoB-PG | 06/07/2012

PCdoB terá 18 candidatos a vereador em Ponta Grossa

Este é o maior número de candidaturas comunistas já lançadas no município

O Partido Comunista do Brasil apresentará nestas próximas eleições municipais 18 candidaturas para as 23 cadeiras em disputa da Câmara Municipal. Será o maior número de candidaturas do partido em uma mesma eleição na cidade. Em 2008 foram lançadas duas candidaturas a vereador e uma a vice-prefeito.

Os candidatos do PCdoB concorrerão em coligação com o PT na disputa proporcional.

“Ainda não conseguimos concretizar o nosso objetivo que é a da formação de uma chapa própria, mas com certeza tivemos um salto quantitativo e qualitativo em nossa militância”, afirma o presidente do partido, Thiago Moro.

Confira quem são os(as) candidatos(as) do PCdoB:

65165 – Deborah Bittencourt – Professora de Português/Espanhol
65030 – Elenita Lanznaster – Jornalista
65650 – Maristela Manosso – Professora de Condutores
65222 – Rosana Machado – Pedagoga
65111 – Selma Cogo – Professora de Linguas Estrangeiras
65410 – Terezinha da RNP – Zeladora
65333 – Debora Lee – Cabelereira e Costureira
65123 – Aliel Machado – Estudante Universitário
65555 – Antonio Aguinel – Motorista
65400 – Célio Rodrigues – Técnico Agrícola
65065 – João Santana Kastilho – Eletricista
65121 – Cesar Gasparetto – Advogado
65777 – Guilherme Madureira – Administrador de Empresas
65444 – Ivan Pinheiro – Auxiliar de Enfermagem
65100 – Jorginho Vieira – Funcionário Público
65665 – Maury de Souza – Professor de História
65321 – Mauro dos Santos – Professor de Português
65007 – Recson Pelentil – Vendedor

A Direção Municipal do Partido Comunista do Brasil – PCdoB de Ponta Grossa, em observância as normas aprovadas pelo Comitê Central e baseado no estatuto partidário, convoca através do presente edital, para o dia 30 de junho de 2012 a partir das 17:00 hs, no Colégio Dynamico, sito a Avenida Dr. Vicente Machado n°  929, – Centro –  Ponta Grossa – PR, todos os filiados (as) do partido a participarem e deliberar sobre as candidaturas proporcionais e majoritárias do PCdoB e sobre as alianças do partido nas eleições de 2012.

O presente edital é baseado nas normas do Comitê Central, conforme a determinação da legislação eleitoral em vigor.

A Ordem do Dia da Convenção Eleitoral Municipal será constituída das seguintes matérias:

I. Discussão e deliberação sobre a coligação majoritária para a eleição de Prefeito (a), Vice-Prefeito (a);
II. Discussão e deliberação sobre a coligação proporcional para a eleição de Vereadores (as);
III. Discussão e deliberação sobre os (as) candidatos (as) a Prefeito (a), Vice-Prefeito (a);
IV. Discussão e deliberação sobre os (as) candidatos (as) a Vereadores (as), com os seus respectivos números.

Ponta Grossa, 21 de Junho de 2012

Thiago Moro
Presidente

Publicado por: PCdoB-PG | 08/06/2012

PCdoB questiona reajuste da tarifa do transporte

Partido cobra garantia de fiscalização e transparência de informação sobre funcionamento do transporte público em Ponta Grossa

Uma história já conhecida pelos usuários do transporte coletivo de Ponta Grossa: os trabalhadores (motoristas e cobradores) pedem melhores condições de trabalho ou salário. A conquista é parcial, pois o acordo para acabar com a greve prevê 8% (dos 13,5% reivindicados) e 120,00 (dos 250,00) de vale refeição. A Prefeitura Municipal, de novo, repassa o aumento para a população, elevando o valor da tarifa. Será este o mesmo, e previsível, desdobramento do problema?

A pergunta seguinte é inevitável: para que serve um poder público municipal? Seria acaso, basicamente, para autorizar aumento de tarifas, sem garantir uma gestão transparente de informações e, sem estrutura de fiscalização, repassar mais este custo aos contribuintes? Se considerar o que se tornou hábito em Ponta Grossa, ao longo das últimas gestões da Prefeitura, a resposta é simples!

O Comitê Municipal do PCdoB em Ponta Grossa faz um apelo público ao poder legislativo para que cumpra seu papel de fiscalizar o executivo e ao atual grupo gestor (PSDB, Dem e afins) para que respeitem a população e, antes de qualquer debate sobre aumento da tarifa, apresentem todas as informações e dados que compõem a planilha de custos do transporte coletivo.

É preciso que os representantes do Poder legislativo não silenciem diante deste problema que diz respeito, direta ou indiretamente, a uma grande parcela da população da Cidade. Da mesma forma, espera-se algum posicionamento do Ministério Público Estadual, uma vez que está em jogo a ausência de informação e também de uma estrutura de fiscalização da atual administração Municipal a respeito do funcionamento de um importante serviço de interesse coletivo em Ponta Grossa.

E, por fim, é o momento de o Conselho Municipal de Transporte demonstrar se possui uma efetiva representatividade ou se opera apenas como legitimador do pedido de aumento da tarifa em Ponta Grossa.

Comitê Municipal do PCdoB – Ponta Grossa, 8 de Junho de 2012.

Problema é de gestão pública e usuário não pode pagar a conta, defende PCdoB

Os números confirmam que a luta dos trabalhadores – motoristas e cobradores – do transporte coletivo de Ponta Grossa é justa e necessária. Qual o valor do vale alimentação de um trabalhador do setor na cidade? R$ 40,00 por mês. Quem teria condições de custear a própria alimentação com este valor? Enquanto os trabalhadores reivindicam R$ 250,00 a concessionária oferece 50,00 mensais. A reposição salarial do período é outro ponto de discordância: enquanto os trabalhadores pedem 13%, mas a operadora do sistema oferece o índice da inflação, de 5,1%.

O transporte não pode ser compreendido como uma simples mercadoria ou moeda de troca. É um serviço público e, assim, deve ser tratado pelos gestores públicos. O problema é que as sucessivas administrações municipais de Ponta Grossa – independentemente de partido ou grupo político, ao longo de mais de duas décadas – repassaram o serviço nas mesmas bases, deixando a população refém de um modelo, que foi se tornando viciado e sem condições de atender às crescentes demandas sociais. Agora, que os trabalhadores lutam por melhores condições de trabalho, os mesmos gestores silenciam ou tentam se esconder nas palavras oficiais dos atuais administradores.

Tentar jogar o problema para a justiça – seja a comum ou trabalhista – não é a saída, pois logo o problema volta com os mesmos desdobramentos e ameaças: de que a população deveria pagar pela melhoria nas condições de trabalho dos profissionais do setor. É preciso dar um basta na política de monopólio na gestão do serviço público. E esta é uma tarefa de todos os usuários, através de suas entidades representativas, pois nenhum grupo político – prefeito, secretários ou vereadores – tem o direito de deixar a população amarrada a um único meio e forma de acesso ao transporte.

É preciso mudar o modelo de administração do serviço. Afinal, não são os mesmos defensores do sistema capitalista que falam em concorrência, livre mercado e competência? Por que insistem em manter um dos mais importantes serviços públicos da cidade sob operação de um único prestador? Esta é uma responsabilidade do poder executivo e legislativo. E não dá mais para ficar jogando o problema, ora aos trabalhadores que lutam por melhores salários e dignidade, ora para a justiça resolver, enquanto os interesses de poucos beneficiados permanecem intocados.

O Comitê Municipal do PCdoB em Ponta Grossa faz um apelo aos profissionais da imprensa – para que ouçam os vários lados do mesmo problema, em respeito ao Jornalismo; aos representantes políticos e dirigentes partidários – para se manifestar solidariamente aos trabalhadores do transporte; aos vereadores da Cidade, para que façam sua parte, na imediata revisão do contrato de prestação de serviço do transporte urbano; e, também, a todos os candidatos às próximas eleições, para que coloquem o problema do transporte de Ponta Grossa nas prioridades do debate político.

Da mesma forma, o PCdoB convida os representantes das entidades sociais da Cidade para rediscutir o funcionamento de transporte e encontrar alternativas. E isso pode ser feito também pelo Conselho Municipal de Transporte, desde que o mesmo seja modificado,se torne  mais representativo, democrático e socialmente legítimo. Não dá para aceitar que o tal conselho se reúna apenas para homologar aumento de tarifa, como acontece nos últimos anos em Ponta Grossa.

E, por fim, os vereadores, que aprovaram um relatório de Comissão de Inquérito do serviço em Ponta Grossa, poderiam assumir a função do legislativo e apresentar propostas para resolver o problema. Só desta forma a população do Município terá condições de avaliar, e comparar com outras cidades, para entender os reais problemas que, hoje, deixam mais de 100 mil usuários por dia reféns de um sistema sob constante questionamento.

Comitê Municipal do PCdoB em Ponta Grossa  –  1º de Junho de 2012

« Newer Posts - Older Posts »

Categorias